Novas tendências para a arquitetura corporativa.

O cobogó no ambiente corporativo.

​Em 1920 surgiu um novo elemento para compor a arquitetura.

Criado  em Recife e batizado com as inicias dos seus criadores, o Cobogó nasceu.

Ele teve inspiração em elementos da arquitetura árabe, que consistia em treliças de madeira instaladas nas sacadas e janelas das casas, no intuito de permitir a abertura destas sem para tanto, possibilitar que as mulheres fossem vistas da rua.

O  Cobogó  popularizou-se rapidamente e em 1950 começou a ser adotado também como elemento de decoração, servindo como divisórias de ambientes. Ele era fabricado em diversos materiais, como cerâmica e concreto.

No decorrer dos anos  ele foi perdendo espaço para o vidro e ambientes refrigerados, e foram tachados de peças de segunda categoria, próprias de cômodos menos nobres, como banheiros e áreas de serviço.

Depois de passarem por uma fase que parecia selar sua decadência, o cobogó foi sendo reeditado e voltou a ter destaque em projetos da arquitetura contemporânea e corporativa.

Quem disse que o Cobogó não pode ser usado num ambiente corporativo?!!

Fizemos  uma releitura desse  elemento para um projeto de uma agência de publicidade.

Na recepção da criamos uma parede  inteira de Cobogó.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.